… sou neto e bisneto de uma geração de desenhistas… Ascendino Etelvino do Prado Andrade – bisavô, Francisco Xavier de Paiva Andrade (FXPA) – avô, Accindino Souza Andrade (Dino) – pai e eu Francisco Eduardo Del Rio Andrade (FEDRA) – o filho… cresci no meio de gente desenhando… transformando folhas brancas de papel em arte… lápis, Bico de pena, nanquim, tira-linhas, esquadros, réguas T, cola de sapateiro, pincéis, e um monte de coisas que simplesmente estão desaparecendo com o advento do computador… mas, confesso que ainda o lápis exerce um fascínio especial… hoje, graças a uma pessoa fantástica que conheci através do computador (via e-mail), Zé Roberto Grauna, do Rio de Janeiro, toda essa história está sendo revivida e quem sabe, será editada em próximo livro… assim espero…