Esse sabor amargo pós-Copa, só não é pior porque existe uma certa euforia pela próxima, que será aqui no Brasil. Nossa Seleção vai ter técnico novo. Seja quem for o escolhido, vai ter muita bronca. Das 12 sedes, só São Paulo ainda não sabe o que oferecer. Quando definida, vai ter bronca. Os grandes times daqui, estão de ressaca. Jogando uma bolinha bem fraquinha. E olha que nem é a Jabulani. Já estou defendendo a tese que a FIFA que é a dona do megaevento Copa, é quem deveria providenciar os palcos para isso. Ainda não saíram os números da África, mas dá para ver que eles vão ficar com o mico na mão. Mico esse relativo as manutenções dos elefantes brancos que construíram. Dos 500 mil turistas esperados fala-se em 250 mil efetivos. Projetar números é fácil. Depois para confrontar com a realidade é que são elas. Fora as camuflagens. Camufla-se tudo o que não interessa. Paralelamente as empresas que se juntaram a FIFA  o Mc Donalds publicou um anúncio mostrando seus (bons) resultados. Vi também que o número de venda de televisores subiu bastante. E, ainda vi na Espanha que a Panasonic se estrepou prometendo que se a Espanha fosse campeã, quem tivesse alguma prestação ainda para pagar seria perdoado. Deu a maior encrenca. As Fan Fests, como a do Rio de Janeiro, após cada jogo a Prefeitura gastava R$28.000,00 em limpeza. É preciso ter muito cuidado com esse tipo de envolvimento. É preciso planejamento. Muito planejamento. Uma Copa do Mundo é um megaevento de tiro curto. O oba oba é maior que os resultados a não ser para a própria FIFA. Ela (Fifa) ganha em tudo, nas bilheterias, nos televisionamentos, nos itens com suas marcas e logos. Para o país sede ficam os abacaxis. Evidentemente que para a imagem do país é positivo, mas ainda não sei medir essa relação de custo x benefício. Para mim fica no Institucional.

Se os nossos clubes andam mau das pernas financeiramente falando. E olha que já são centenários. Imaginem voces o que a Copa aqui vai fazer com eles. Até o Corinthians que precisa de um estádio já sabe o quanto isso custa para levantar e o pior, depois, para manter. Portanto a FIFA que gaste esse dinheiro.

Somos um país onde o esgoto a céu aberto, a falta de escolas, de hospitais, de transporte público, de trânsito complicado, de aeroportos defasados, de apagões, de enchentes, de um monte de outras coisas que ainda não nos qualificam para essa empreitada.

Fiz um levantamento da Copa de 1950, aqui no Brasil. Apesar do Maracanazo, dá para ver que naquela época, ninguém sabia onde ficava o Brasil. A construção do Maracanã (até hoje em construção…) de 200.000 pessoas hoje reduzido para 82.000 e para a próxima Copa será de 75.000, não só foi encolhendo como já daria para construir um belo estádio moderno. Lembro que naquela época não havia o peso das televisões. Apesar dos pesares foi uma Copa que deu lucro (tirando o Maracanã) , já que a FIFA ainda não era essa FIFA de hoje, e suas garrinhas eram bem mais suaves.

Quem tiver interesse (Copa de 50) posso disponibilizar esse material.