… passada a ressaca das eleições, assisti ontem as entrevistas que a presidente eleita deu para várias emissoras de televisão… confesso que o que eu sentia por ela até o último momento desse segundo turno, sofreu uma síndrome de estocolmo *… já no discurso de eleita, ela escolheu se vestir de branco… nem citou o partido… e o Lula optou por ficar no Palácio do Planalto, de onde deveria ter ficado todo o período das eleições… foi o primeiro ponto positivo para começar a conquistar aqueles que não votaram nela… no discurso vários pontos positivos… em deles foi estender a mão a todos os demais partidos e políticos contrários… já o candidato derrotado não foi tão simpático, esquecendo de citar Aécio e FHC… aliás sua filha (a do Serra) alertou ao pai no final e Serra estranhamente respondeu meio contrariado… esse fato e o recado ao final do seu discurso mostrou que tem mais coisa por baixo do tapete no PSDB que nos foi surrupiado… sei não… mas, acho que o partido já vinha rachado e agora partiu ao meio, definitivamente… é a falta que está fazendo um Mário Covas…  espero sinceramente que Dilma Rousseff seja uma presidente diferente e que resgate nos contrários o sentimento de uma brasilidade diferente, mais moderna, mais light, mais igualitária… essa história de governar para ricos ou para pobres é uma conversa para boi dormir… o que interessa é o bem estar de todos… 

..* síndrome de estocolmo… é um estado psicológico particular desenvolvido por pessoas que são vítimas de seqüestro… a síndrome se desenvolve a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu captor ou de conquistar a simpatia do seqüestrador… pode ser também chamado assim uma serie de doenças psicológicas aleatórias… a síndrome recebe seu nome em referência ao famoso assalto de Norrmalmstorg do Kreditbanken em Norrmalmstorg, Estocolmo que durou de 23 de agosto a 28 de agosto de 1973… nesse acontecimento, as vítimas continuavam a defender seus captores mesmo depois dos seis dias de prisão física terem terminado e mostraram um comportamento reticente nos processos judiciais que se seguiram… o termo foi cunhado pelo criminólogo e psicólogo Nils Bejerot, que ajudou a polícia durante o assalto, e se referiu à síndrome durante uma reportagem… ele foi então adotado por muitos psicólogos no mundo todo…