link do artigo da ESPN Internacional

… resumo :

… a ESPN americana fala em ‘jogos mortais’ no Rio-2016 ao relatar guerra do tráfico e UPPs
10/05/2011 – 20h48 | do UOL Esporte

… zona de guerra e ruas sem lei assoladas por tiroteios de traficantes cruéis que matam sem perdão…. quem ler a reportagem publicada nesta terça-feira pelo site norte-americano ESPN.com, vai ter esta imagem da cidade que receberá os Jogos Olímpicos de 2016 e a final da Copa do Mundo de 2014…

… nas quase cinco mil palavras (o texto médio do UOL Esporte, por exemplo, tem 400), a reportagem conta com detalhes parte da história do Morro dos Macacos…   a comunidade carente próxima ao Maracanã teve um helicóptero da polícia abatido por traficantes dois anos atrás e depois foi invadida pelas UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora), programa que é a base do projeto de segurança do Rio para as Olimpíadas… o relato da ESPN.com é feito com detalhes, mas num ritmo intenso, lembrando dois filmes que marcaram a vida carioca na última década: “Cidade de Deus” e “Tropa de Elite”… o primeiro mostra o lado dos traficantes, enquanto o segundo aborda os policiais. Já o texto de “Deadly Games” pode ser, guardadas as devidas proporções, uma versão dos líderes comunitários dos problemas sociais do Rio de Janeiro… um trecho emblemático narra como Mário Lima, presidente da associação dos moradores do Morro dos Macacos, ficou deitado no banheiro de sua casa, abraçado à família, enquanto ouvia gritos e tiros da invasão do morro por uma facção criminosa rival daquela que controlava o local na época… a matéria, porém, vai um pouco além da desgraça – e, se o leitor tiver paciência, pode ir do medo à esperança no fim… após falar do sangue e da violência a reportagem aborda o sucesso das UPPs… o projeto do governo do Rio é relatado como um sucesso duvidoso: após a ocupação, a polícia estabelece bases fixas na comunidade para evitar que os traficantes voltem a mandar no local. As UPPs foram um dos trunfos da candidatura olímpica carioca – uma oficial, inclusive, fez parte da delegação brasileira que foi à Suíça no processo de escolha que terminou com o Rio eleito para organizar os Jogos de 2016… o problema é, que segundo uma das fontes da matéria, as UPPs podem não durar após as Olimpíadas: “[a ocupação] não será para sempre… quando terminarem os Jogos e o dinheiro acabar, eles vão sair [da comunidade]… e tudo vai voltar ao normal… assim que a polícia sair, os traficantes vão voltar e todos que cooperaram vão ser mortos”, diz “a professora”, que pediu para não ser identificada “para proteger as pessoas que conhece”…

Fonte: Bol notícias