… trinta anos sem o maior ídolo da torcida de futebol de sua época… do maior gênio da bola… que me desculpem Pelé, Maradona, Messi, Neymar, e tantos outros… mas quem viu Garrincha (Manuel Francisco dos Santos) não pode esquecer jamais desse que foi sem dúvida o maior de todos… e com esse par de pernas tortas…  hoje (20/01/2013) faz trinta anos que ele nos deixou… recomendo para quem não leu ainda – Estrela Solitária – Ruy Castro, Cia das Letras… embora meio cortado pela censura da família, vale a pena… não precisa gostar de futebol para ler uma incrível história de um ser humano como poucos… morreu muito cedo (49 anos)…

Garrincha

“Se há um deus que regula o futebol, esse deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.”Carlos Drummond de Andrade, em sua crônica publicada no Jornal do Brasil…